"bolinho, bolinho"

Este sábado foi dia de "Pão por Deus".
Aqui onde moro é conhecido por "bolinho, bolinho" e, pela manhã, vemos muitos grupos de crianças em animada correria pela vila.
Sempre me perguntei de onde viria esta tradição e, depois de conversar com duas simpáticas senhoras, fiquei mais esclarecida.

Então o que me explicaram foi que, esta tradição agora associada ás crianças, está no decorrer de diversos peditórios feitos ao longo do ano e que se relacionam com a religião católica.

No dia de Reis, cantam-se e pedem-se as "janeiras" e durante a quaresma canta-se às almas e pedem-se as "maias".

Enquanto estive pelas ilhas aprendi que nos Açores se acreditava que uma alma podia azedar o pão. Assim, para que tal não acontecesse, o pão da primeira fornada, "o pão das almas", era colocado numa cadeira na rua à porta de casa, coberto por um pano, para que a primeira pessoa que passasse o levasse para si ou desse a alguém necessitado.



Entretanto, depois de umas pequenas pesquisas e algumas leituras, percebi que este costume está associado ao antigo ritual de se oferecer pão, bolos vinho e outros alimentos aos defuntos. Era costume "durante o ano, nos domingos e dias festivos se offerecem por devoção picheis, ou frascos de vinho, e certos pães, que põe em uma toalha estendida sobre a sepultura do defunto, e uma vela acesa".

Por cá, as crianças correm alegres pelas ruas com os seus talegos cheios de bolos, chocolates, pipocas e outras guloseimas que lhes ofertem



2 comentários:

  1. Que bom ouvir falar no bolinho,bolinho!
    Quando era míuda e vivia no alentejo, corríamos a aldeia toda a pedir de porta em porta! Agora deve ser um pouco diferente, mas naquela altura era muito giro!
    Obrigada por esta rubrica "tradição", continue a escrever Alexandra!
    Beijinhos Sónia

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito da explicação. :)

    ResponderEliminar

Falem, partilhem e opinem!!!