Sendak e os monstros...

No passado dia 8 de maio, fez um ano que morreu Maurice Sendak, o "pai dos monstros"...

Maurice Sendak teve um papel fundamental na escrita para as crianças e jovens, pois ficou conhecido por abordar temáticas que até então eram considerados pouco apropriados para as crianças.
Nas suas histórias, as crianças mostram a sua verdadeira natureza e não são sempre meninos bem comportados que não fazem asneiras e parecem anjinhos! Nas histórias de Sendak, por vezes as crianças podem ser cruéis, zangam-se e fazem birras, são mimadas e insuportáveis.

O nome de Maurice Sendak fica para sempre lembrado pelo livro “Onde Vivem os Monstros” (“Where the Wild Things Are”). 



Este livro conta a história de Max, um pequeno rapaz que se torna rei das coisas selvagens.
Num livro totalmente pensado e elaborado pelo autor, as ilustrações de Sendak ocupam a totalidade das páginas quando a história atinge o seu clímax e diminuem consoante Max vai voltando à realidade.

 


O livro, publicado pela primeira vez em 1963, é considerado um clássico da literatura infantil. Vendeu mais de 19 milhões de exemplares em todo o mundo, foi traduzido em diversas línguas e valeu a Sendak o prémio Caldecott Medal para Melhor Livro para a Infância em 1964, em 1970 recebeu o Prémio Hans Christian Andersen, foi distinguido pelo então Presidente norte-americano Bill Clinton com a Medalha Nacional das Artes, em 1996 e, em 2003, recebeu o prémio Astrid Lindgren Memorial Award. 

Mais recentemente, em 2009, foi adaptado a cinema pelas mãos de Spike Jonze, com argumento do próprio realizador em parceria com Dave Egger, o escritor convidado por Sendak. O filme recria a história de Max e dos seus amigos monstros. A banda sonora do filme foi composta e produzida por Karen O, dos nova-iorquinos Yeah Yeah Yeahs.


trailer do filme "Onde vivem os monstros"

Ao longo da sua carreira, Maurice Sendak, que também criou o guarda-roupa para vários espectáculos de ballet e ópera, publicou mais de dez livros infantis, entre os quais se destacam ainda “In the Night Kitchen” e “Outside Over There”, que compõe uma trilogia com “Onde Vivem os Monstros”.

Em 2003, numa entrevista dada à Associated Press, Maurice Sendak disse que se sentia “como um dinossauro”, por pertencer a uma geração de ilustradores que está a desaparecer 
perante a modernização da ilustração e da edição do livro para a infância. “Há alguns de nós que já nos deixaram. Trabalhámos tanto nos anos 50 e 60, alguns morreram e outros os computadores afastaram-nos”, disse então o escritor, explicando que não se importava com o título de escritor infantil. 

Sendak, defendia que escrevia para as crianças com gosto, pois reconhecia nelas uma   melhor audiência e uns críticos mais duros : "as crianças dizem tudo o que pensam e não o que pensam que devem pensar.”
O último livro que Maurice Sendak lançou chama-se "Bumble-Ardy" e, ao fim de 30 anos sem editar um original, chegou às lojas um novo herói: um porco órfão. 

1 comentário:

  1. Anónimo5/22/2013

    adoro este livro!
    obrigado por o divulgar!

    ResponderEliminar

Falem, partilhem e opinem!!!