"Trocoscópio"




Na contracapa deste colorido e animado livro, vem a seguinte descrição:
“Que palavra complicada será esta? Será o nome de um peixe de olhos trocados? Será o nome de uma máquina de trocar segredos? Ou será o que chamamos a alguém que está constantemente a trocar de opinião? Nada disso. O “Trocoscópio” é a invenção do século: uma fabulosa máquina de trocar as voltas ao mundo, de baralhar as peças e de as voltar a dar, mostrando tudo com novas e inesperadas arrumações. Se há coisas que achas que precisam de mudar, espreita pelo “Trocoscópio” e carrega no botão!”
Embora inicialmente, pareça um livro menos óbvio ou que pressupõe um processo de descodificação, “Trocoscópio” não é um livro complicado nem acarreta nenhuma mensagem complexa. O princípio base deste livro é algo muito familiar aos mais novos, habituados a construir com as mesmas peças (por exemplo, legos) diferentes objectos, lugares, personagens ou situações. 
Ao percorremos as páginas deste “Trocoscópio”, a ideia da relação construção/desconstrução permite-nos usar o que existe e reciclá-lo para obter algo novo.

Este livro da editora Planeta Tangerina, conta com a colaboração de diversos autores, pois embora as ilustrações sejam de Bernardo Carvalho, a ideia é de Isabel Milhós e Madalena Matoso.  Segundo o ilustrador, “Trocoscópio” propõe-se ser “uma máquina de trocar as voltas ao mundo”.  

Quando abrimos este livro, deparamo-nos com figuras geométricas sobrepostas, numa aparente desarrumação. 
Entre triângulos, rectângulos, círculos, semicírculos e pintinhas, são 142 peças amarelas, verde, encarnadas, azuis, rosas, laranjas e roxas. São peças que, quando combinadas ou sobrepostas, formam novas cores e novas formas.


Este livro é como um jogo que muda de lugar e de posição à medida que folheamos as páginas...saltam partes duma construção, de uma página para a outra!
O movimento e ritmo imposto pelas peças, não só faz uma nova construção na página ao lado, como cria uma nova na anterior, pois a falta do mais pequeno elemento numa página, faz alterar todo o conjunto!
Com um olhar mais atento, vemos que, em paralelo, acontecem duas histórias e ambas usam as mesmas peças: numa subtraímos, na outra, adicionamos; numa desconstruímos, na outra, é tempo de construção.

“Trocoscópio” oferece-nos uma aventura de descobertas e invenções que se assemelha a um caleidoscópio dos mais avançados: repleto de formas coloridas no seu interior, mas cujas capacidades são ainda mais surpreendentes. É um livro para mexer, virar de lado, ver de pernas para o ar e voltar a ver, de trás para frente! É um livro que promove a descoberta, a criatividade e a relação criança-livro, como um momento lúdico e de brincadeira!


Quando chegamos ao final de “Trocoscópio”, concluímos que este é um daqueles livros que se tem de ver muitas vezes e, de todas essas vezes, veremos coisas novas... ou, pelo menos, de outra maneira!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Falem, partilhem e opinem!!!